OTHER TYPES OF WORKS

  • 09-1993-capa-economic-reforms-in-new-democracies
  • 05-2010-capa-globalization-and-competition
  • 03-2018-capa-em-busca-de-desenvolvimento-perdido
  • 08-1984-capa-desenvolvimento-e-crise-no-brasil-1930-1983
  • 12-1982-capa-a-sociedade-estatal-e-a-tecnoburocracia
  • 01-2021
  • 10-1999-capa-reforma-del-estado-para-la-ciudadania
  • 02-2021-capa-a-construcao-politica-e-economica-do-brasil
  • 05-2009-capa-mondialisation-et-competition
  • 05-2009-capa-globalizacao-e-competicao
  • 17-2004-capa-em-busca-do-novo
  • 05-2010-capa-globalixacion-y-competencia
  • 06-2009-capa-construindo-o-estado-republicano
  • 2014-capa-developmental-macroeconomics-new-developmentalism
  • 13-1988-capa-lucro-acumulacao-e-crise-2a-edicao
  • 11-1992-capa-a-crise-do-estado
  • 09-1993-capa-reformas-economicas-em-democracias-novas
  • 07-2004-capa-democracy-and-public-management-reform
  • 01-2021-capa-new-developmentalism
  • 04-2016-capa-macroeconomia-desenvolvimentista
  • 15-1968-capa-desenvolvimento-e-crise-no-brasil-1930-1967
  • 10-1998-capa-reforma-do-estado-para-a-cidadania
  • 16-2015-capa-a-teoria-economica-na-obra-de-bresser-pereira-3
  • 2006-capa-as-revolucoes-utopicas-dos-anos-60

Macroeconomia para o Brasil

Luiz Carlos Bresser-Pereira e Yoshiaki Nakano

Mestrado e Doutorado em Economia de Empresas
Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas

O seminário visa discutir os problemas macroeconômicos do Brasil entendidos estes de forma ampla para incluir além da política monetária, política cambial, e política fiscal, a política comercial e política industrial. Visa também discutir as condições políticas para a formulação da política macroeconômica indicada para o país retomar o crescimento econômico sustentado. O pressuposto é o de que a economia brasileira tem características específicas que exigem uma análise adequada, não encontrável nos livros textos de macroeconomia. Estes pressupõem uma economia desenvolvida e relativamente pouco endividada, enquanto que nossa economia, ainda que já plenamente capitalista, é uma economia pequena e altamente endividada no plano externo. Em conseqüência, uma economia como a brasileira é muito mais sujeita a choques externos. Com a abertura comercial da economia, controle da alta inflação, e a flutuação da taxa de cambio, a economia brasileira teve avanços importantes, mas persistem questões macroeconômicas cruciais. Sem uma mudança na política macroeconômica o país não retomará a trajetória de crescimento com estabilidade. Mudança que independe de prévia reforma institucional, embora estas precisem continuar a ocorrer. Por outro lado, o país conta com uma sociedade alienada, não possuindo uma elite com projeto nacional. E é uma sociedade eminentemente desigual, na qual a representação política é precária. Em conseqüência, os governos oscilam entre políticas populistas e submissão ao receituário das agências internacionais, revelando, portanto, grande dificuldade em definir uma política macroeconômica que realmente responda ao interesse nacional.




    1. INTRODUÇÃO

    1. Estabilidade macroeconômica e crescimento a partir dos anos 90.


    - Bresser-Pereira, Luiz Carlos & Yoshiaki Nakano (2003) "Crescimento Econômico com Poupança Externa?". Revista de Economia Política 22 (2), abril 2003: 3-27.


    Leitura Suplementar


    - Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2000) “Self-Interest and Incompetence”. Journal of Post Keynesian Economics 23(3), Spring 2001: 363-373.


    - Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2000) “Entre o Globalismo e o Velho Nacionalismo”. In Henrique Rattner, org., Brasil no Limiar do Século XXI. São Paulo: EDUSP, 2000: 39-55.


    - Bresser-Pereira, Luiz Carlos and Jairo Abud (1997) “Net and Total Transition Cost: The Timing of Economic Reform”. World Development, 25 (6), June 1997: 905-914.


    2. O QUADRO INTERNACIONAL


    2. Globalização


    - Friedman, Thomas (2000) The Lexus and the Olive Tree. Second Edition. New York: Random House. Capítulo 6 (The Golden Straitjacket: 101-111) e Capítulo 20 (There is a Way Forward: 434-475).


    - Hardt, Michael e Antonio Negri (2000) Empire. Cambridge, MA: Harvard University