OTHER TYPES OF WORKS

  • 10-1998-capa-reforma-do-estado-para-a-cidadania
  • 07-2004-capa-democracy-and-public-management-reform
  • 05-2009-capa-globalizacao-e-competicao
  • 05-2010-capa-globalization-and-competition
  • 09-1993-capa-reformas-economicas-em-democracias-novas
  • 02-2021-capa-a-construcao-politica-e-economica-do-brasil
  • 13-1988-capa-lucro-acumulacao-e-crise-2a-edicao
  • 2006-capa-as-revolucoes-utopicas-dos-anos-60
  • 2014-capa-developmental-macroeconomics-new-developmentalism
  • 03-2018-capa-em-busca-de-desenvolvimento-perdido
  • 06-2009-capa-construindo-o-estado-republicano
  • 08-1984-capa-desenvolvimento-e-crise-no-brasil-1930-1983
  • 16-2015-capa-a-teoria-economica-na-obra-de-bresser-pereira-3
  • 11-1992-capa-a-crise-do-estado
  • 04-2016-capa-macroeconomia-desenvolvimentista
  • 05-2010-capa-globalixacion-y-competencia
  • 10-1999-capa-reforma-del-estado-para-la-ciudadania
  • 17-2004-capa-em-busca-do-novo
  • 01-2021
  • 15-1968-capa-desenvolvimento-e-crise-no-brasil-1930-1967
  • 12-1982-capa-a-sociedade-estatal-e-a-tecnoburocracia
  • 05-2009-capa-mondialisation-et-competition
  • 09-1993-capa-economic-reforms-in-new-democracies

Um programa para Luís Arce na Bolívia

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Nota no Facebook e Twitter, 21.10.2020

.


A vitória do candidato de esquerda, Luis Arce, da Bolívia, mostra que o povo sabe reconhecer os bons governos – no caso, o governo de Evo Morales, que foi vítima de um golpe de Estado. 



Esta vitória é uma nova oportunidade para um governo social-desenvolvimentista promover o desenvolvimento econômico da Bolívia com estabilidade e diminuição da desigualdade.



Na América Latina, um governo ou é desenvolvimentista, porque intervém moderadamente na economia e é nacionalista econômico, ou é liberal e entreguista e portanto associado aos interesses do império americano.



Se o governo for liberal, sabemos que não promoverá o desenvolvimento econômico do país; poderá, no máximo, manter sua estabilidade, mas como vimos recentemente com Macri na Argentina, nem isto o liberalismo econômico assegura.



Se o governo for desenvolvimentista, existirá a possibilidade de desenvolvimento econômico, mas ele não estará assegurado. Além de promover a diminuição da desigualdade ele terá que rejeitar déficits fiscais e principalmente déficits em conta corrente.



Só sendo responsável no plano fiscal, a Bolívia poderá ter recursos para financiar os investimentos públicos, que são fundamentais para o desenvolvimento econômico. Só rejeitando o populismo cambial poderá neutralizar a doença holandesa e se industrializar.



Para neutralizar a doença holandesa a Bolívia deverá criar um sistema de tarifas aduaneiras sobre bens manufaturados – tarifas que variem de acordo com os preços das commodities exportadas.



Para manter o equilíbrio e crescer, o governo boliviano deverá ter como objetivos macroeconômicos não apenas o controle da inflação, mas ter uma meta de superavit em conta-corrente que assegure uma taxa de câmbio compatível com a industrialização.



Em síntese, Luis Arce, que chega ao poder com grandes esperanças, deverá adotar um projeto nacional novo-desenvolvimentista.