OTHER TYPES OF WORKS

  • 15-1968-capa-desenvolvimento-e-crise-no-brasil-1930-1967
  • 10-1999-capa-reforma-del-estado-para-la-ciudadania
  • 2006-capa-as-revolucoes-utopicas-dos-anos-60
  • 05-2009-capa-mondialisation-et-competition
  • 01-2021
  • 12-1982-capa-a-sociedade-estatal-e-a-tecnoburocracia
  • 09-1993-capa-reformas-economicas-em-democracias-novas
  • 07-2004-capa-democracy-and-public-management-reform
  • 17-2004-capa-em-busca-do-novo
  • 2014-capa-developmental-macroeconomics-new-developmentalism
  • 04-2016-capa-macroeconomia-desenvolvimentista
  • 05-2010-capa-globalixacion-y-competencia
  • 11-1992-capa-a-crise-do-estado
  • 16-2015-capa-a-teoria-economica-na-obra-de-bresser-pereira-3
  • 13-1988-capa-lucro-acumulacao-e-crise-2a-edicao
  • 10-1998-capa-reforma-do-estado-para-a-cidadania
  • 09-1993-capa-economic-reforms-in-new-democracies
  • 05-2010-capa-globalization-and-competition
  • 06-2009-capa-construindo-o-estado-republicano
  • 03-2018-capa-em-busca-de-desenvolvimento-perdido
  • 08-1984-capa-desenvolvimento-e-crise-no-brasil-1930-1983
  • 02-2021-capa-a-construcao-politica-e-economica-do-brasil
  • 05-2009-capa-globalizacao-e-competicao

O sonho de ser Thatcher

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Nota na página do Facebook, 30 de maio de 2016

.


O artigo de Marcos Nobre, hoje, no Valor, é notável. O título já é ótimo, “O dia em que Temer sonhou com Thatcher”, e já na primeira frase, pergunta: “Como explicar que um governo interino possa agir como se fosse um governo recém-eleito?” Em seguida, mostra os dados sobre a falta de apoio popular do governo, mostra como lhe falta poder para realizar uma grande virada para a direita ou para qualquer outro lado, sem apoio popular, e com políticos apavorados pela a Operação Lava Jato e por novos Sérgios Machados. E conclui:



“Se não quiser ter o mesmo destino de Dilma Rousseff, o que resta para Michel Temer é assumir sua condição de José Sarney. Os delírios de Margaret Thatcher podem bem animar plateias em palestras para investidores, mas não vão convencer quem não tem emprego, renda, ou remédio no posto de saúde. E o segredo do período Sarney é simples: aceitar a própria mediocridade, nunca criar expectativa alguma. Apenas fingir de morto e se esforçar para convencer de que não vai deixar a peteca cair de vez”.