PUBLICIDADE  
 
 
 
HOME SOBRE BRESSER-PEREIRA PÁGINA NO FACEBOOK
BONS ARTIGOS QUE LI BONS FILMES QUE ASSISTI

BRAZILIAN JOURNAL OF POLITICAL ECONOMY

OLHAR O MUNDO FALE CONOSCO
 
  Tipos de trabalhos  
 

Quem é/Who is

A guide to my work
Currículos / CVs
Short cv & bio
Textos autobiográficos
Sobre Bresser-Pereira

Tipos de Trabalhos

Livros
Livros na íntegra
Livros organizados (edited)
Papers
Pequenos textos, prefácios, etc.
Texto para Discussão
Artigos de jornal & Entrevistas
Principais Entrevistas
Notas no Facebook
Cartas
Críticas de Cinema
Documentos & Relatórios
Programas / Syllabus
Apresentações / Slides
Vídeos e Áudios





Outros idiomas

Works in English
Weekly Columns
Oeuvres en Français
Trabajos en Español

Método

Método científico

Novo Desenvolvimentismo

Novo Desenvolvimentismo (textos básicos)
Desenvolvimentismo Clássico (textos básicos)
Novo Desenvolvimentismo (economia política)
Novo Desenvolvimentismo (teoria econômica)
Novo Desenvolvimentismo (aplicado)
Novo Desenvolvimentismo (contribuições e críticas de terceiros)

Sociedade-Capitalismo

Teoria social - textos básicos
Teoria social (todos)
Capitalismo e modernidade
Classes e tecnoburocracia
Revolução Capitalista e ...
Revoluções, Revoltas e Movimentos
Globalização
Organização administração
Estatismo e URSS

Política

Teoria política - textos básicos
Teoria política (todos)
Teoria do Estado
Sociedade civil
Republicanismo e direitos de cidadania
Teoria da Democracia
Ciclos do Estado
Populismo político e econômico
Nação e nacionalismo
Social democracia e esquerda
Neoliberalismo e globalismo
Interpretações do Brasil
Pactos políticos e coalizões de classes - Br
Democracia no Brasil
Teoria da Dependência
História intelectual
Perfis individuais
Política Externa - Br
Burocracia pública - Br
Empresários e administradores - Br
Reforma da universidade
Conjuntura Política - Br
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil

Economia

Teoria econômica - Textos básicos
Teoria econômica (todos)
Teoria do Desenvolvimento Econômico
Crítica da teoria neoclássica
Desigualdade e Distribuição
Teoria macroeconômica
Política e Economia
Câmbio e poupança externa
Câmbio e Doença Holandesa
Câmbio e crescimento
Crises econômico-financeiras
Dívida externa
Investimentos e taxa de lucro
Inflação
Inflação inercial
Comércio e integração
Economia mundial
Crise global de 2008
Desenvolvimento econômico - Br
Macroeconomia do Brasil
Populismo econômico - Br
Desindustrialização - Br
Crise fiscal do Estado - Br
Planos de estabilização - Br
Plano Bresser
Quase-estagnação desde 1980 - Br
Conjuntura Econômica - Br

Países e regiões

Relações internacionais
América Latina
Argentina
Estados Unidos
Europa

Reforma Gerencial do Estado


Trabalhos de terceiros

Bons artigos que li recentemente
Reforma Gerencial - Terceiros
Cursos
Debate sobre "Crescimento com Estabilidade"(2001)

MARE - Ministério da Reforma do Estado

Documentos da Reforma
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil
Reforma Gerencial - Terceiros
Agências Executivas e Reguladoras
Organizações Sociais
Gestão da Saúde
Gestão da Educação
Implementação Nível Federal
Implementação São Paulo
Implementação Minas Gerais
Implementação Outros Estados
Bibliografia da Reforma da Gestão Pública
América Latina: Declaração de Madri (Clad)
Leis sobre Organizações Sociais
 
 
 

 

Interpretações do Brasil

Luiz Carlos Bresser-Pereira e José Marcio Rego
Departamento de Economia - Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas


Curso de Graduação em Administração de Empresas (2o. semestre 2001)
I. OBJETIVO DO CURSO

O objetivo do curso é discutir, no plano da economia política, as principais teorias ou interpretações sobre o desenvolvimento e do subdesenvolvimento brasileiros. Algumas interpretações, principalmente as mais recentes, são explícitas. Na maioria dos casos, porém, o autor não está diretamente explicando o subdesenvolvimento ou fazendo propostas sobre como deve o país se desenvolver, mas as idéias estão implícitas em seu pensamento.
Adotaremos dois pressupostos: primeiro, que o desenvolvimento econômico é um objetivo político central de cada país, ao lado da liberdade, da igualdade; e, segundo, que as idéias importam no processo de desenvolvimento: idéias alienadas e equivocadas levarão a políticas públicas incompetentes e a taxas de crescimento da renda por habitante menores no longo prazo.
Desenvolvimento econômico é o processo sustentado de crescimento da renda por habitante através da acumulação de capital com incorporação de progresso técnico. No sentido moderno do termo começa a ocorrer com o capitalismo, primeiro o mercantil, e depois, o industrial. É a partir do primeiro que temos a sistemática reutilização do excedente na própria atividade comercial e produtiva, e a partir do segundo que o reinvestimento ou a acumulação de capital com incorporação de progresso técnico se tornam necessários, ou seja, uma condição da própria sobrevivência da empresa.
O subdesenvolvimento brasileiro define-se no período colonial (séculos dezesseis a dezoito), consolida-se no século dezenove, e não é superado no século vinte. Embora a teoria econômica previsse que os países em desenvolvimento convergiriam gradualmente para os niveis de desenvolvimento dos países ricos, isto não vem ocorendo na maioria dos casos, inclusive do Brasil. Por que? Vamos tentar dar respostas a esta pergunta examinando as interpretações do Brasil através da história.

II. PROGRAMA

1. As Interpretações do Brasil (e os Dados sobre o Desenvolvimento)

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (1997) “Interpretações sobre o Brasil”. In Maria Rita Loureiro, org. (1997) 50 anos de Ciência Econômica no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Vozes: 17-69. (Este artigo oferece uma visão geral do curso).

Leitura complementar

Costa e Silva, Alberto (2000) “Quem Fomos Nós no Século XX: As Grandes Interpretações do Brasil”. In Carlos Guilherme Mota, org. (2000) Viagem Incompleta: A Experiência Brasileira. São Paulo: Editora Senac: 17-41.

Rands de Barros, Alexandre (1996) “Historical Sources of Brazilian Underdevelopment”. Revista de Economia Política, 16(2), abril 1996. (Este artigo é importante pelos dados que apresenta do desenvolvimento do país desde o início do século XIX).

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (1982) "Seis Interpretações sobre o Brasil". Dados 25(3), sem mês, 1982. Republicado em Pactos Políticos (1985).

Reis, José Carlos (1999) Identidades do Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas.

2. A Interpretação Desenvolvimento Colonial e Miscigenação, de Gilberto Freyre

Freyre, Gilberto (1933) Casa Grande e Senzala. Rio de Janeiro: Editora Record. Primeira edição, 1933. Capítulo 1: "Características Gerais da Colonização …": 4-87.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2000) “Relendo Casa-Grande e Senzala”. São Paulo, janeiro 2000, cópia, (6pp.)

3. A Interpretação Café-Indústria, de Buarque de Holanda

Buarque de Holanda, Sérgio (1936-67) Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1987 (1a. edição, 1936; 5a. edição – texto definitivo, 1967) Capítulo 5 ("O Homem Cordial":): 101-112.

Bresser-Pereira, Luiz Carlos (2000) “Relendo Raízes do Brasil”. São Paulo, janeiro 2000. Cópia. (11pp).

4. A Interpretação da Vocação Agrária, de Eugênio Gudin

Bielschowsky, Roberto (1988) Pensamento Econômico Brasileiro. Rio

 

 

 

© Direitos Autorais Bresser-Pereira
São Paulo - SP | ceciliaheise46@gmail.com

 

Desenvolvido pela E-Xis | www.e-xis.com.br