PUBLICIDADE  
 
 
 
HOME SOBRE BRESSER-PEREIRA PÁGINA NO FACEBOOK
BONS ARTIGOS QUE LI BONS FILMES QUE ASSISTI

BRAZILIAN JOURNAL OF POLITICAL ECONOMY

OLHAR O MUNDO FALE CONOSCO
 
  Tipos de trabalhos  
 

Quem é/Who is

A guide to my work
Currículos / CVs
Short cv & bio
Textos autobiográficos
Textos sobre Bresser-Pereira





Livros

Livros
Livros na íntegra
Livros organizados (edited)

Trabalhos acadêmicos

Papers
Pequenos textos, prefácios, etc.
Texto para Discussão
Apresentações / Slides
Programas / Syllabus
Documentos & Relatórios

Trabalhos na midia

Artigos de jornal
Entrevistas
Notas no Facebook
Vídeos e Áudios

Método, perfis, outros

Método científico
Cartas
Perfis de pessoas
Críticas de Cinema

Outros idiomas

Works in English
Oeuvres en Français
Trabajos en Español

Novo Desenvolvimentismo

Novo Desenvolvimentismo (textos básicos)
Desenvolvimentismo Clássico (textos básicos)
Novo Desenvolvimentismo (economia política)
Novo Desenvolvimentismo (teoria econômica)
Novo Desenvolvimentismo (aplicado)
Novo Desenvolvimentismo (contribuições e críticas de terceiros)

Sociedade-Capitalismo

Teoria social - textos básicos
Teoria social (todos)
Capitalismo e modernidade
Classes e tecnoburocracia
Revolução Capitalista e ...
Revoluções, Revoltas e Movimentos
Globalização
Organização administração
Estatismo e URSS

Política

Teoria política - textos básicos
Teoria política (todos)
Teoria do Estado
Sociedade civil
Republicanismo e direitos de cidadania
Teoria da Democracia
Ciclos do Estado
Populismo político e econômico
Nação e nacionalismo
Social democracia e esquerda
Neoliberalismo e globalismo

Política brasileira

Interpretações do Brasil
Pactos políticos e coalizões de classes
Democracia no Brasil
Teoria da Dependência
História intelectual
Política Externa
Burocracia pública
Empresários e administradores
Reforma da universidade
Conjuntura Política
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial do Brasil

Economia

Teoria econômica - Textos básicos
Teoria econômica (todos)
Teoria do Desenvolvimento Econômico
Crítica da teoria neoclássica
Desigualdade e Distribuição
Teoria macroeconômica
Política e Economia
Câmbio e poupança externa
Câmbio e Doença Holandesa
Câmbio e crescimento
Crises econômico-financeiras
Dívida externa
Investimentos e taxa de lucro
Inflação
Inflação inercial
Comércio e integração
Economia mundial
Crise global de 2008

Economia brasileira

Economia brasileira até 1979
Economia brasileira 1980-2002
Economia brasileira desde 2003
Quase-estagnação desde 1980
Populismo econômico
Desindustrialização
Crise fiscal do Estado
Planos de estabilização
Plano Bresser

Países e regiões

Relações internacionais
América Latina
Argentina
Estados Unidos
Europa

Trabalhos de terceiros

Bons artigos que li recentemente
Reforma Gerencial - Terceiros
Cursos
Debate sobre "Crescimento com Estabilidade"(2001)
Projeto Brasil Nação - Notícias e Comentários

Ações / Ministérios

Ministério da Fazenda
Plano Bresser
MCT Ministério da Ciência & Tecnologia
Fundação Getulio Vargas, São Paulo

MARE - Ministério da Reforma do Estado

Documentos da Reforma
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil
Reforma Gerencial - Terceiros
Agências Executivas e Reguladoras
Organizações Sociais
Gestão da Saúde
Gestão da Educação
Implementação Nível Federal
Implementação São Paulo
Implementação Minas Gerais
Implementação Outros Estados
Bibliografia da Reforma da Gestão Pública
Cadernos MARE
América Latina: Declaração de Madri (Clad)
Leis sobre Organizações Sociais
 
 
 

 

Depoimento de Rosa Freire d'Aguiar

Rosa Freire d'Aguiar
Página do Facebook de Rosa Freire d'Aguiar


Viúva de Celso Furtado faz importante depoimento sobre Lula.

"Tristeza imensa ao pensar em Lula encarcerado. Pelo simbolismo que envolve a prisão de um líder de tamanha popularidade e carisma, e que conhece como poucos o povo de seu país. Pelo fato de se somar, ao que ele tem enfrentado, a ausência de Marisa Leticia, falecida há pouco mais de um ano (é lento o trabalho do luto). Pela surpresa do tratamento tão parcial que recebeu de togas mais ou menos supremas. Pela certeza de que os ódios inoculados em parte da sociedade foram, propositadamente ou não, movidos pela sanha de afastá-lo da disputa presidencial.
Foram bons os encontros com Lula. Na França, quando ele era o sindicalista em ascensão admirado por seus pares europeus, e ainda viajava na companhia de um sociólogo então petista e depois trânsfuga rumo ao tucanato. No Rio, às vésperas da eleição presidencial de 89, quando se imaginava que Brizola é que iria para o segundo turno mas Lula foi o sufragado para a disputa com Collor. Nesse dia, Lula e Brizola vieram juntos — uma leve animosidade no ar, mas noblesse oblige. No Rio de novo, em 2002, quando Lula, eleito presidente dez dias antes, passou toda a manhã mais ouvindo que falando o que Celso lhe dizia sobre globalização, mercado interno, Alca, FMI. Em Fortaleza, no ano seguinte, quando depois de uma cerimônia de refundação da Sudene (uma oportunidade perdida), a conversa sobre Nordeste, seca, miséria, fluiu como aquelas águas do S. Francisco que anos depois iriam ser transpostas. Em Brasília, nos idos de 2010 — a última vez que o vi — na entrega da primeira edição do Prêmio Celso Furtado de Desenvolvimento Regional. De todos esses encontros ficou a certeza de que Lula, uma combinação rara de inteligência e autenticidade, funcionava movido por doses equivalentes de razão e coração. Felizmente. Celso tinha grande simpatia pelo Lula, embora ciente de que sua margem de manobra era muito pequena para tocar um projeto nacional capaz de arrancar o país do subdesenvolvimento. Tendo a supor que, hoje, e ao contrário dos que comemoraram com foguetório o fim de um capítulo, ele pensaria que a prisão do “estadista que transformou o Brasil” (apud NYT de hoje) é o início de um novo enredo, que pode ser muito mais incerto e arriscado, mas que vale a pena enfrentar." 

 

 

 

© Direitos Autorais Bresser-Pereira
São Paulo - SP | ceciliaheise46@gmail.com

 

Desenvolvido pela E-Xis | www.e-xis.com.br