PUBLICIDADE  
 
 
 
HOME SOBRE BRESSER-PEREIRA PÁGINA NO FACEBOOK
BONS ARTIGOS QUE LI BONS FILMES QUE ASSISTI

BRAZILIAN JOURNAL OF POLITICAL ECONOMY

OLHAR O MUNDO FALE CONOSCO
 
  Tipos de trabalhos  
 

Quem é/Who is

A guide to my work
Currículos / CVs
Short cv & bio
Textos autobiográficos
Textos sobre Bresser-Pereira





Livros

Livros
Livros na íntegra
Livros organizados (edited)

Trabalhos acadêmicos

Papers
Pequenos textos, prefácios, etc.
Texto para Discussão
Apresentações / Slides
Programas / Syllabus
Documentos & Relatórios

Trabalhos na midia

Artigos de jornal
Entrevistas
Notas no Facebook
Vídeos e Áudios

Método, perfis, outros

Método científico
Cartas
Perfis de pessoas
Críticas de Cinema

Outros idiomas

Works in English
Oeuvres en Français
Trabajos en Español

Novo Desenvolvimentismo

Novo Desenvolvimentismo (textos básicos)
Desenvolvimentismo Clássico (textos básicos)
Novo Desenvolvimentismo (economia política)
Novo Desenvolvimentismo (teoria econômica)
Novo Desenvolvimentismo (aplicado)
Novo Desenvolvimentismo (contribuições e críticas de terceiros)

Sociedade-Capitalismo

Teoria social - textos básicos
Teoria social (todos)
Capitalismo e modernidade
Classes e tecnoburocracia
Revolução Capitalista e ...
Revoluções, Revoltas e Movimentos
Globalização
Organização administração
Estatismo e URSS

Política

Teoria política - textos básicos
Teoria política (todos)
Teoria do Estado
Sociedade civil
Republicanismo e direitos de cidadania
Teoria da Democracia
Ciclos do Estado
Populismo político e econômico
Nação e nacionalismo
Social democracia e esquerda
Neoliberalismo e globalismo

Política brasileira

Interpretações do Brasil
Pactos políticos e coalizões de classes
Democracia no Brasil
Teoria da Dependência
História intelectual
Política Externa
Burocracia pública
Empresários e administradores
Reforma da universidade
Conjuntura Política
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial do Brasil

Economia

Teoria econômica - Textos básicos
Teoria econômica (todos)
Teoria do Desenvolvimento Econômico
Crítica da teoria neoclássica
Desigualdade e Distribuição
Teoria macroeconômica
Política e Economia
Câmbio e poupança externa
Câmbio e Doença Holandesa
Câmbio e crescimento
Crises econômico-financeiras
Dívida externa
Investimentos e taxa de lucro
Inflação
Inflação inercial
Comércio e integração
Economia mundial
Crise global de 2008

Economia brasileira

Economia brasileira até 1979
Economia brasileira 1980-2002
Economia brasileira desde 2003
Quase-estagnação desde 1980
Populismo econômico
Desindustrialização
Crise fiscal do Estado
Planos de estabilização
Plano Bresser

Países e regiões

Relações internacionais
América Latina
Argentina
Estados Unidos
Europa

Trabalhos de terceiros

Bons artigos que li recentemente
Reforma Gerencial - Terceiros
Cursos
Debate sobre "Crescimento com Estabilidade"(2001)
Projeto Brasil Nação - Notícias e Comentários

Ações / Ministérios

Ministério da Fazenda
Plano Bresser
MCT Ministério da Ciência & Tecnologia
Fundação Getulio Vargas, São Paulo

MARE - Ministério da Reforma do Estado

Documentos da Reforma
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil
Reforma Gerencial - Terceiros
Agências Executivas e Reguladoras
Organizações Sociais
Gestão da Saúde
Gestão da Educação
Implementação Nível Federal
Implementação São Paulo
Implementação Minas Gerais
Implementação Outros Estados
Bibliografia da Reforma da Gestão Pública
Cadernos MARE
América Latina: Declaração de Madri (Clad)
Leis sobre Organizações Sociais
 
 
 

 

A Sociedade Estatal e a Tecnoburocracia

Luiz Carlos Bresser-Pereira
São Paulo: Editora Brasiliense, 1981.


The rise of technobureaucracy or the professional middle class. In capitalism, sharing power with the bourgeoisie in Soviet Union and other comand economies (where the state mode of production is dominant), as the ruling class.

Não é possível pensar nas classes sociais em termos de vilões e heróis. Por isso, é inútil pensar na tecnoburocracia como o novo vilão da história, como uma classe necessariamente autoritária que frustrou as esperanças no socialismo. Isto é ser vítima da ideologia burguesa. É certo que não temos ainda a experiência histórica de sociedades que sejam dominantemente estatais e razoavelmente democráticas, mas é muito cedo para deduzir daí que o estatismo seja incompatível com a democracia. Ele é tão incompatível com a verdadeira democracia quanto o capitalismo, na medida em que só em uma sociedade sem classes e sem Estado, socialista e auto-gestionária, poderse-á pensar em democracia plena.(contra capa).

Resenha de Gérard Lebrun


ÍNDICE

Introdução : Fatos Novos, Novas Relações de Produção

Primeira Parte : A Emergência da Tecnoburocracia
Capítulo I - As Etapas da História: Uma Crítica
Capítulo II - Técnica mdash o Novo Fator Estratégico de Produção
Capítulo III - Revoluções Comunistas
Capítulo IV - Revoluções Militares
Capítulo V - Tecnoburocracia e Capitalismo
Capítulo VI - Técnicos e Tecnoburocracia
Capítulo VII - A Ideologia Tecnoburocrática
Capítulo VIII - Da Tecnoburocracia à Revolução

Segunda Parte : Notas Introdutórias ao Modo Tecnoburocrático ou Estatal de Produção.
Capítulo IX - Surge um Novo Modo de Produção
Capítulo X - Relações de Produção: A Propriedade Organizacional
Capítulo XI - Salários e Ordenados
Capítulo XII - Capitalismo de Estado?
Capítulo XIII - Burocracia e Modo Asiático de Produção
Capítulo XIV - Conclusão Política

Terceira Parte : Debate sobre a Tecnoburocracia
Capítulo XV - Além do Capitalismo? (Giannotti)
Capítulo XVI - A Partir da Crítica
Capítulo XVII - O Capitalismo e os Limites da burocracia (Lima e Belluzzo)
Capítulo XVIII - Lições do Aprendiz de Feiticeiro ou Tecnoburocracia e
Empresa Monopolista
Capítulo XIX - Economia e Administração: Mercado e Poder

Quarta Parte : China e União Soviética, Estatismo e Socialismo
Capítulo XX - O Fim da Revolução Cultural
Capítulo XXI - Democracia e Gestão Econômica
Capítulo XXII - Trabalho Intelectual e Manual
Capítulo XXIII - Modelos de Industrialização e Socialismo
Capítulo XXIV - A União Soviética e as Classes
Capítulo XXV - O Autoritarismo Monolítico
Capítulo XXVI - Semelhanças e Perspectivas

Conclusão : Capitalismo de Estado, Estatismo e Socialismo Autogestionário

 

 

 

 

© Direitos Autorais Bresser-Pereira
São Paulo - SP | ceciliaheise46@gmail.com

 

Desenvolvido pela E-Xis | www.e-xis.com.br