PUBLICIDADE  
 
 
 
HOME SOBRE BRESSER-PEREIRA PÁGINA NO FACEBOOK
BONS ARTIGOS QUE LI BONS FILMES QUE ASSISTI

BRAZILIAN JOURNAL OF POLITICAL ECONOMY

OLHAR O MUNDO FALE CONOSCO
 
  Tipos de trabalhos  
 

Quem é/Who is

A guide to my work
Currículos / CVs
Short cv & bio
Textos autobiográficos
Sobre Bresser-Pereira

Tipos de Trabalhos

Livros
Livros na íntegra
Livros organizados (edited)
Papers
Pequenos textos, prefácios, etc.
Texto para Discussão
Artigos de jornal & Entrevistas
Principais Entrevistas
Notas no Facebook
Cartas
Críticas de Cinema
Documentos & Relatórios
Programas / Syllabus
Apresentações / Slides
Vídeos e Áudios





Outros idiomas

Works in English
Weekly Columns
Oeuvres en Français
Trabajos en Español

Método

Método científico

Novo Desenvolvimentismo

Novo Desenvolvimentismo (textos básicos)
Desenvolvimentismo Clássico (textos básicos)
Novo Desenvolvimentismo (economia política)
Novo Desenvolvimentismo (teoria econômica)
Novo Desenvolvimentismo (aplicado)
Novo Desenvolvimentismo (contribuições e críticas de terceiros)

Sociedade-Capitalismo

Teoria social - textos básicos
Teoria social (todos)
Capitalismo e modernidade
Classes e tecnoburocracia
Revolução Capitalista e ...
Revoluções, Revoltas e Movimentos
Globalização
Organização administração
Estatismo e URSS

Política

Teoria política - textos básicos
Teoria política (todos)
Teoria do Estado
Sociedade civil
Republicanismo e direitos de cidadania
Teoria da Democracia
Ciclos do Estado
Populismo político e econômico
Nação e nacionalismo
Social democracia e esquerda
Neoliberalismo e globalismo
Interpretações do Brasil
Pactos políticos e coalizões de classes - Br
Democracia no Brasil
Teoria da Dependência
História intelectual
Perfis individuais
Política Externa - Br
Burocracia pública - Br
Empresários e administradores - Br
Reforma da universidade
Conjuntura Política - Br
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil

Economia

Teoria econômica - Textos básicos
Teoria econômica (todos)
Teoria do Desenvolvimento Econômico
Crítica da teoria neoclássica
Desigualdade e Distribuição
Teoria macroeconômica
Política e Economia
Câmbio e poupança externa
Câmbio e Doença Holandesa
Câmbio e crescimento
Crises econômico-financeiras
Dívida externa
Investimentos e taxa de lucro
Inflação
Inflação inercial
Comércio e integração
Economia mundial
Crise global de 2008
Desenvolvimento econômico - Br
Macroeconomia do Brasil
Populismo econômico - Br
Desindustrialização - Br
Crise fiscal do Estado - Br
Planos de estabilização - Br
Plano Bresser
Quase-estagnação desde 1980 - Br
Conjuntura Econômica - Br

Países e regiões

Relações internacionais
América Latina
Argentina
Estados Unidos
Europa

Trabalhos de terceiros

Bons artigos que li recentemente
Reforma Gerencial - Terceiros
Cursos
Debate sobre "Crescimento com Estabilidade"(2001)
Notícias e Comentários

Ações / Ministérios

Ministério da Fazenda
Plano Bresser
MCT Ministério da Ciência & Tecnologia
Fundação Getulio Vargas, São Paulo

MARE - Ministério da Reforma do Estado

Documentos da Reforma
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil
Reforma Gerencial - Terceiros
Agências Executivas e Reguladoras
Organizações Sociais
Gestão da Saúde
Gestão da Educação
Implementação Nível Federal
Implementação São Paulo
Implementação Minas Gerais
Implementação Outros Estados
Bibliografia da Reforma da Gestão Pública
Cadernos MARE
América Latina: Declaração de Madri (Clad)
Leis sobre Organizações Sociais
 
 
 

 

Diante de um mal maior e a delação de Delcídio

Luiz Carlos Bresser-Pereira
Página do Facebook, 3 de março de 2016

Em novembro do ano passado a nação descobriu, surpresa, que o senador Delcídio Amaral estava diretamente envolvido na corrupção envolvendo a Petrobrás e tentara impedir as investigações. Foi preso, e ficou desmoralizado. Hoje, no quadro do sistema infame de "vazamentos" promovidos pela operação Lava Jato, uma revista transcreve trechos de uma delação premiada desse senhor com acusações pesadas contra Dilma e Lula. Desta maneira, ele tenta reduzir a pena que certamente lhe será infligida pela Justiça. Como a cidadania deve olhar esse vazamento e seu conteúdo? A meu ver, com indignação.
Mas as elites brasileiras e, em particular, as elites rentistas e financistas, estão confusas. Deram uma guinada para a direita e colocaram como seu objetivo maior "salvar o Brasil" do PT, de Dilma e de Lula. Um pouco, devido aos erros que cometeram; muito, porque eles não se deixaram cooptar. Dado esse objetivo, que é transparente, essa elite é receptiva a qualquer acusação, a qualquer suspeita, que, imediatamente, faz a Bolsa de Valores cair, como caiu ontem. Delcídio sabe disto, e, para ter sua delação aceita pelo Judiciário, resolveu jogar tudo contra a presidente e o ex-presidente. Ele, hoje, desautorizou a revista, porque "o combinado" era que a delação só se tornaria pública seis meses mais tarde. Tornada pública agora, não vejo como o Congresso não cassará seu mandato.
Vivemos um momento em que promotores e um juiz parecem querer não deixar pedra sobre pedra no Brasil em nome de um moralismo radical. Contando com o apoio de uma classe média que guinou para a direita e trocou a política pelo ódio. E com o apoio de políticos oportunistas e irresponsáveis, como Aécio Neves e Eduardo Cunha. Neste quadro, o único poder que está incólume é o do STF. Que provavelmente não homologará essa delação. O Executivo e o Legislativo estão sendo violentamente atacados. O Legislativo está especialmente vulnerável. Mas não devemos subestimar a qualidade cívica dos brasileiros e de seus políticos, e sua capacidade de reagir ao que está ocorrendo.
A operação Lava Jato está indo longe demais. Está violentando os direitos civis dos cidadãos - de políticos e empresários - ao promover o vazamentos de meras suspeitas que são transformadas em denúncias, e ao realizar prisões preventivas sem que haja necessidade - apenas para forçar delações. A Constituição brasileira afirma que "ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória". Este é um princípio fundamental que está sendo violentado pela combinação de ódio, moralismo e oportunismo.
Toda essa violência, além de implicar grandes prejuízos cívicos, implica prejuízos econômicos. Como é possível enfrentar os problemas econômicos graves que o Brasil enfrenta neste quadro institucional e político? Muitos querem derrubar o governo para "resolver" o problema. Mas não é através da violência e do desrespeito ao sistema constitucional de governo que existe no Brasil que se resolverá a violência que estamos vivendo.
Diante da crise econômica e moral, é preciso que nos unamos. Que se leve adiante o julgamento dos réus já definidos pela Operação Lava Jato, mas que se encerrem os vazamentos e as denúncias irresponsáveis. Diante da crise econômica, é preciso que os brasileiros deixem de lado o ódio e se voltem para a política; é preciso que deixem de se tratar como inimigos e se tratem como adversários, que, diante de um mal maior, provam serem capazes de se somar para enfrentá-lo e resolvê-lo.

Projeção
Em psicanálise existe o conceito de "projeção": as pessoas tendem a projetar nos outros seus próprios desejos e medos. Lendo hoje a entrevista do ministro José Eduardo Cardoso, ficou claro para mim que o senador Delcídio Amaral projetou em Dilma os seus problemas diante da operação Lava Jato. Diz o ministro: "Ele dizia para eu tomar providências sobre a Lava Jato: 'temos que ver o que está ocorrendo. Réus estão sendo pressionados a fazerem delação. Tem que falar com o Janot [procurador geral], com o Teori [relator da Lava Jato no STF]. Eu respondia: 'Decídio, representa (oficialmente) meu filho'. Depois eu vi que ele estava defendendo sua sobrevivência". A declaração de Cardozo mostra como esse homem, hoje desmoralizado e ameaçado, indigno de qualquer credibilidade, foi capaz de projetar sobre a presidente e o ministro da justiça aquilo que ele queria que os dois fizessem.
 

 

 

 

© Direitos Autorais Bresser-Pereira
São Paulo - SP | ceciliaheise46@gmail.com

 

Desenvolvido pela E-Xis | www.e-xis.com.br