PUBLICIDADE  
 
 
 
HOME SOBRE BRESSER-PEREIRA PÁGINA NO FACEBOOK
BONS ARTIGOS QUE LI BONS FILMES QUE ASSISTI

BRAZILIAN JOURNAL OF POLITICAL ECONOMY

OLHAR O MUNDO FALE CONOSCO
 
  Tipos de trabalhos  
 

Quem é/Who is

A guide to my work
Currículos / CVs
Short cv & bio
Textos autobiográficos
Sobre Bresser-Pereira

Tipos de Trabalhos

Livros
Livros na íntegra
Livros organizados (edited)
Papers
Pequenos textos, prefácios, etc.
Texto para Discussão
Artigos de jornal & Entrevistas
Principais Entrevistas
Notas no Facebook
Cartas
Críticas de Cinema
Documentos & Relatórios
Programas / Syllabus
Apresentações / Slides
Vídeos e Áudios





Outros idiomas

Works in English
Weekly Columns
Oeuvres en Français
Trabajos en Español

Método

Método científico

Novo Desenvolvimentismo

Novo Desenvolvimentismo (textos básicos)
Desenvolvimentismo Clássico (textos básicos)
Novo Desenvolvimentismo (economia política)
Novo Desenvolvimentismo (teoria econômica)
Novo Desenvolvimentismo (aplicado)
Novo Desenvolvimentismo (contribuições e críticas de terceiros)

Sociedade-Capitalismo

Teoria social - textos básicos
Teoria social (todos)
Capitalismo e modernidade
Classes e tecnoburocracia
Revolução Capitalista e ...
Revoluções, Revoltas e Movimentos
Globalização
Organização administração
Estatismo e URSS

Política

Teoria política - textos básicos
Teoria política (todos)
Teoria do Estado
Sociedade civil
Republicanismo e direitos de cidadania
Teoria da Democracia
Ciclos do Estado
Populismo político e econômico
Nação e nacionalismo
Social democracia e esquerda
Neoliberalismo e globalismo
Interpretações do Brasil
Pactos políticos e coalizões de classes - Br
Democracia no Brasil
Teoria da Dependência
História intelectual
Perfis individuais
Política Externa - Br
Burocracia pública - Br
Empresários e administradores - Br
Reforma da universidade
Conjuntura Política - Br
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil

Economia

Teoria econômica - Textos básicos
Teoria econômica (todos)
Teoria do Desenvolvimento Econômico
Crítica da teoria neoclássica
Desigualdade e Distribuição
Teoria macroeconômica
Política e Economia
Câmbio e poupança externa
Câmbio e Doença Holandesa
Câmbio e crescimento
Crises econômico-financeiras
Dívida externa
Investimentos e taxa de lucro
Inflação
Inflação inercial
Comércio e integração
Economia mundial
Crise global de 2008
Desenvolvimento econômico - Br
Macroeconomia do Brasil
Populismo econômico - Br
Desindustrialização - Br
Crise fiscal do Estado - Br
Planos de estabilização - Br
Plano Bresser
Quase-estagnação desde 1980 - Br
Conjuntura Econômica - Br

Países e regiões

Relações internacionais
América Latina
Argentina
Estados Unidos
Europa

Trabalhos de terceiros

Bons artigos que li recentemente
Reforma Gerencial - Terceiros
Cursos
Debate sobre "Crescimento com Estabilidade"(2001)

MARE - Ministério da Reforma do Estado

Documentos da Reforma
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil
Reforma Gerencial - Terceiros
Agências Executivas e Reguladoras
Organizações Sociais
Gestão da Saúde
Gestão da Educação
Implementação Nível Federal
Implementação São Paulo
Implementação Minas Gerais
Implementação Outros Estados
Bibliografia da Reforma da Gestão Pública
Cadernos MARE
América Latina: Declaração de Madri (Clad)
Leis sobre Organizações Sociais
 
 
 

 

Globalização e Competição

Luiz Carlos Bresser-Pereira
Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.


Uma síntese da análise teórica nova sobre a macroeconomia do desenvolvimento, com ênfase principal, de um lado, na economia política da globalização e das estratégias nacionais de desenvolvimento, e, de outro, do papel que a taxa de câmbio (e sua tendência à apreciação nos países em desenvolvimento) desempenha no desenvolvimento econômico. Os dois fatores principais que provocam essa tendência são a doença holandesa e a política de crescimento com poupança externa.

 

Disponível na Livraria Cultura e na Livraria da Vila

Em francês: Mondialisation et Compétition (Éditions La Decouverte)

Em inglês: Globalization and Competition

Em espanhol: Globalización y Competencia

 

SOBRE O LIVRO:

A macroeconomia estruturalista do desenvolvimento por trás do novo desenvolvimentismo

Prefácio de Robert Boyer em Português

Resenha de Paulo Miguel

Treze proposições resumindo Globalização e Competição

Globalização e Competição focaliza os países de renda média num quadro de globalização comercial e financeira. A primeira é vista como uma oportunidade, a segunda como grave ameaça. O objetivo é explicar porque alguns países emergentes são bem sucedidos no catching up enquanto outros não. O argumento é dividido em duas partes. Na primeira parte desenvolvo seis proposições de economia política:

1.O capitalismo global é caracterizado por forte competição econômica, não apenas entre as empresas, mas entre os países ou os estados-nação.

2.Essa competição torna os países mais interdependentes e relativamente menos autônomos. Seus governos, porém, tornam-se mais estratégicos na medida em que a maior interdependência deriva da crescente competição econômica.

3.Os países bem sucedidos na competição são aqueles que fortalecem sua nação e adotam uma estratégia nacional de desenvolvimento.

4.Depois da Segunda Guerra Mundial, muitos países em desenvolvimento adotaram uma estratégia nacional desenvolvimentista que foi bem sucedida na promoção da industrialização e em transformá-los em países de renda média.

5. Uma importante crise da dívida externa nos anos 1980 e o colapso da antiga estratégia nacional, juntamente com a hegemonia ideológica neoliberal, levaram os países a adotar a ortodoxia convencional ou o consenso de Washington, que causou a crises de balanço de pagamentos e aumentou a desigualdade ao invés de promover o crescimento.

6. Depois da crise financeira dos anos 1990, e dadas as estratégias econômicas bem sucedidas de diversos países asiáticos, está surgindo um novo desenvolvimentismo, que o livro compara com o antigo nacional desenvolvimentismo e à ortodoxia convencional.

Na segunda parte eu discuto sete proposições de macroeconomia do desenvolvimento concentradas sobre a taxa de câmbio:

1. O novo desenvolvimentismo é uma estratégia macroeconômica que vê no lado da demanda os maiores obstáculos ao desenvolvimento, e requer, em relação ao mercado interno, que a política econômica assegure que os salários cresçam com a produtividade (o que não é garantido dada a ilimitada oferta de mão-de-obra), e, em relação aos mercados externos, que a taxa de câmbio seja competitiva (não sobreapreciada).

2. Uma taxa de câmbio competitiva é aquela que torna economicamente viáveis as empresas produtoras de bem comercializáveis internacionalmente que usam tecnologia mundial de ponta.

3. Nos países em desenvolvimento há uma tendência estrutural de sobreapreciação da taxa de câmbio que, se não for neutralizada, será um obstáculo maior para a diversificação e crescimento da economia nacional.

4. As duas causas estruturais por trás desta tendência (a doença Holandesa, e as taxas de lucro e de juros que atraem o capital estrangeiro) são infladas por políticas econômicas erradas: a política de crescimento com poupança externa (déficits em conta corrente), a tese do "aprofundamento do capital&" que implica em elevação da taxa de juros interna, a política de âncora cambial ou de dolarização para combater a inflação, o modelo dos "dois hiatos" que implica em financiamento externo, e a prática de "populismo cambial" - que deve ser neutralizada para que o país possa catching up.

5. A doença holandesa é uma falha de mercado que torna a taxa de câmbio de "equilíbrio corrente" mais apreciada do que a taxa de câmbio de "equilíbrio industrial" (aquela que torna viáveis as empresas que usam tecnologia de ponta).

6. Contrariamente à crença geral, a política de crescimento com poupança externa aplicada juntamente com a abertura financeira não promove crescimento, e, em casos extremos provoca crises financeiras, e, sempre, leva ao aumento artificial de salários e consumo. Em outras palavras, uma alta taxa de substituição de poupança interna por poupança externa.

7. As crises financeiras nos países em desenvolvimento são normalmente crises de balanço de pagamentos oriundas da suspensão da rolagem da dívida externa por credores externos em consequência não tanto dos déficits fiscais, mas da política de crescimento com poupança externa.

Thirteen propositions summarizing Globalization and Competition

 

 

 

© Direitos Autorais Bresser-Pereira
São Paulo - SP | ceciliaheise46@gmail.com

 

Desenvolvido pela E-Xis | www.e-xis.com.br