PUBLICIDADE  
 
 
 
HOME SOBRE BRESSER-PEREIRA PÁGINA NO FACEBOOK
BONS ARTIGOS QUE LI BONS FILMES QUE ASSISTI

BRAZILIAN JOURNAL OF POLITICAL ECONOMY

OLHAR O MUNDO FALE CONOSCO
 
  Tipos de trabalhos  
 

Quem é/Who is

A guide to my work
Currículos / CVs
Short cv & bio
Textos autobiográficos
Sobre Bresser-Pereira

Tipos de Trabalhos

Livros
Livros na íntegra
Livros organizados (edited)
Papers
Pequenos textos, prefácios, etc.
Texto para Discussão
Artigos de jornal & Entrevistas
Principais Entrevistas
Notas no Facebook
Cartas
Críticas de Cinema
Documentos & Relatórios
Programas / Syllabus
Apresentações / Slides
Vídeos e Áudios





Outros idiomas

Works in English
Weekly Columns
Oeuvres en Français
Trabajos en Español

Método

Método científico

Novo Desenvolvimentismo

Novo Desenvolvimentismo (textos básicos)
Desenvolvimentismo Clássico (textos básicos)
Novo Desenvolvimentismo (economia política)
Novo Desenvolvimentismo (teoria econômica)
Novo Desenvolvimentismo (aplicado)
Novo Desenvolvimentismo (contribuições e críticas de terceiros)

Sociedade-Capitalismo

Teoria social - textos básicos
Teoria social (todos)
Capitalismo e modernidade
Classes e tecnoburocracia
Revolução Capitalista e ...
Revoluções, Revoltas e Movimentos
Globalização
Organização administração
Estatismo e URSS

Política

Teoria política - textos básicos
Teoria política (todos)
Teoria do Estado
Sociedade civil
Republicanismo e direitos de cidadania
Teoria da Democracia
Ciclos do Estado
Populismo político e econômico
Nação e nacionalismo
Social democracia e esquerda
Neoliberalismo e globalismo
Interpretações do Brasil
Pactos políticos e coalizões de classes - Br
Democracia no Brasil
Teoria da Dependência
História intelectual
Perfis individuais
Política Externa - Br
Burocracia pública - Br
Empresários e administradores - Br
Reforma da universidade
Conjuntura Política - Br
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil

Economia

Teoria econômica - Textos básicos
Teoria econômica (todos)
Teoria do Desenvolvimento Econômico
Crítica da teoria neoclássica
Desigualdade e Distribuição
Teoria macroeconômica
Política e Economia
Câmbio e poupança externa
Câmbio e Doença Holandesa
Câmbio e crescimento
Crises econômico-financeiras
Dívida externa
Investimentos e taxa de lucro
Inflação
Inflação inercial
Comércio e integração
Economia mundial
Crise global de 2008
Desenvolvimento econômico - Br
Macroeconomia do Brasil
Populismo econômico - Br
Desindustrialização - Br
Crise fiscal do Estado - Br
Planos de estabilização - Br
Plano Bresser
Quase-estagnação desde 1980 - Br
Conjuntura Econômica - Br

Países e regiões

Relações internacionais
América Latina
Argentina
Estados Unidos
Europa

Trabalhos de terceiros

Bons artigos que li recentemente
Reforma Gerencial - Terceiros
Cursos
Debate sobre "Crescimento com Estabilidade"(2001)
Notícias e Comentários

Ações / Ministérios

Ministério da Fazenda
Plano Bresser
MCT Ministério da Ciência & Tecnologia
Fundação Getulio Vargas, São Paulo

MARE - Ministério da Reforma do Estado

Documentos da Reforma
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil
Reforma Gerencial - Terceiros
Agências Executivas e Reguladoras
Organizações Sociais
Gestão da Saúde
Gestão da Educação
Implementação Nível Federal
Implementação São Paulo
Implementação Minas Gerais
Implementação Outros Estados
Bibliografia da Reforma da Gestão Pública
Cadernos MARE
América Latina: Declaração de Madri (Clad)
Leis sobre Organizações Sociais
 
 
 

 

Populismo Econômico (coletânea)

Luiz Carlos Bresser-Pereira, organizador
São Paulo: Nobel, 1991.


Edited book putting together papers on economic populism. Classical papers by Canitrot, O'Donnell and Alejandro. Among recent papers, see particularly Jeffrey Sachs' paper.

Populismo e ortodoxia econômica se alternam irracionalmente, no Brasil e mais amplamente na América Latina, Os artigos deste livro, escritos por alguns dos mais importantes economistas que têm examinado a crise da América Latina, definem e analisam esse fenômeno. O populismo econômico esteve presente no Brasil mesmo no final dos anos 80, em pleno período autoritário, e foi seguido de um forte ajuste ortodoxo, que desembocou em novo surto populista com a redemocratização. Assim, o clássico "ciclo populista" continua vigente no Brasil, constituindo-se em uma das causas fundamentais da crise econômica brasileira. Não é, entretanto, a única causa, nem necessariamente a principal, como dois dos artigos presentes neste livro assinalam.

O populismo econômico está baseado em um distributivismo ingênuo e na indisciplina fiscal. Acredita que o desenvolvimento econômico e a distribuição de renda são objetivos que podem ser alcançados com relativa facilidade através, de um lado, do aumento dos investimentos e dos gastos sociais do Estado, e, de outro, do aumento dos salários. O resultado é o déficit público, a crise fiscal e a inflação, senão a hiperinflação.

Sumário

Prefácio
1. A experiência populista de redistribuição de renda
Adolfo Canitrot

2. Estado e alianças de classes na Argentina, 1956-1976
Guillermo O’Donnell

3. Planos de estabilização no Cone Sul
Carlos E. Díaz-Alejandro

4. Populismo e política econômica no Brasil
Luiz Carlos Bresser-Pereira

5. Conflito social e políticas populistas na América Latina
Jeffrey D. Sachs

6. O populismo macroeconômico na América Latina
Rudiger Dornbusch e Sebastian Edwards

7. Populismo econômico versus Keynes: a reinterpretação do déficit público na América Latina
Luiz Carlos Bresser-Pereira e Fernando Dall’Acqua

8. Populismo, gastança e redistribuição
Eliana Cardoso e Ann Helwege

9. Origens e desenvolvimento do populismo
Gilmar Masiero

Prefácio

O populismo é um fenômeno político amplamente estudado na América Latina. O populismo econômico, entretanto, só recentemente vem merecendo atenção. Neste livro reúno três artigos "clássicos", que examinaram o populismo econômico originalmente, nos anos 70, e uma série de artigos recentes que examinam a crise econômica da América Latina dos anos 80 a partir da análise das políticas econômicas populistas.
No campo estrito da ciência política, podemos entender o populismo como uma prática e uma ideologia que procura colocar o povo, em vez do indivíduo ou das classes sociais, como o ator fundamental da história. Nesse sentido amplo e ambíguo, o populismo se contrapõe tanto às filosofias políticas jusnaturalistas, que colocam o indivíduo e o contrato social na base da sociedade política, quanto às filosofias políticas históricas e sociais, que colocam os costumes e as classes sociais na base do Estado. O populismo é uma fórmula política "cuja fonte principal de inspiração e termo constante de referência

 

 

 

© Direitos Autorais Bresser-Pereira
São Paulo - SP | ceciliaheise46@gmail.com

 

Desenvolvido pela E-Xis | www.e-xis.com.br