César Felicio para Valor
Valor, 27.12.2007

.

 

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), irá acelerar o repasse da rede municipal da saúde para organizações sociais (OS) em 2008, enquanto articula a sua candidatura à reeleição. As organizações sociais são entidades escolhidas pela prefeitura dentro de uma lista de habilitadas para assumir a gerência de serviços públicos. É semelhante a uma terceirização: a diferença é que o governo mantém a gestão ou seja: estabelece metas e fiscaliza seu cumprimento.

Hoje, Kassab anuncia a transferência do hospital de M.Boi Mirim, ainda em obras, para o novo modelo. O contrato será assinado com o Centro de Estudos João Amorim ( Cejam) uma entidade filantrópica, mas já está acertada a parceria entre o Cejam e o Hospital Albert Einstein, que não é uma das dezessete entidades habilitadas para participar do processo. Segundo a prefeitura, a legislação abre espaço para este tipo de convênio. O hospital deve entrar em funcionamento parcial em março.

Outros quatro comunicados de interesse já foram publicados pela prefeitura. Kassab quer transferir para OS 117 Assistências Médicas Ambulatoriais ( AMAs) e Unidades Básicas de Saúde (UBS). Como já existem 52 AMAs e UBS sob gerência de OS, além de um hospital, isto significa que 30% da rede adotará o novo modelo.

A saúde é , de longe, a a área mais delicada da administração municipal em termos de imagem, há pelo menos dez anos. A exclusão do município do Sistema Único de Saúde (SUS) no governo Maluf, nos anos 90, comprometeu a gestão do sucessor, Celso Pitta. Marta Suplicy (PT) recolocou a prefeitura no SUS, mas seu insucesso de em mostrar realizações na área foi uma das razões de sua derrota para o atual governador José Serra (PSDB) em 2004.

Em sua gestão como prefeito, o tucano também teve problemas. Seu primeiro secretário da Saúde, Claudio Lotterberg, foi demitido com dois meses no cargo, por desentendimentos com o prefeito. Foi substítuído por Maria Cristina Cury, mantida por Kassab quando Serra renunciou à prefeitura em março de 2006. Seis meses depois, contudo, Kassab demitiu-a, substituindo-a por Maria Aparecida Orsini. Desta vez, era Kassab que teve problemas de relacionamento com a demitida. Ligado a Serra, o atual secretário Januário Montone é o quarto titular em três anos de gest&atilde