Luiz Roberto Barradas Barata
Tendências/Debates, Folha de S.Paulo em 04/08/2006.

.

EM QUALQUER ramo da atividade profissional, pública ou privada, experiência e competência são quesitos fundamentais. Na área da saúde, que lida com vidas, o rigor deve ser ainda maior, já que não há espaço para experiências ou aventuras.O Brasil possui um dos sistemas de saúde mais democráticos do mundo, garantindo acesso a qualquer cidadão, gratuitamente, sem restrições. O SUS (Sistema Único de Saúde) foi planejado por um grupo de sanitaristas que tinham como ideal promover universalidade, eqüidade e integralidade dos serviços à população.


Acumulam-se os erros de um governo marcado por denúncias de irregularidades e desvios financeiros na condução da área da saúde


 

Esse sistema, ainda em fase de construção e consolidação, já apresenta resultados positivos indiscutíveis, reconhecidos internacionalmente, como é o caso dos programas de combate à Aids, referência para a OMS (Organização Mundial da Saúde), e de imunização em massa.
As conquistas da saúde brasileira se traduzem em números, como a redução da mortalidade infantil, a erradicação da poliomielite e a diminuição da incidência das doenças infecto-contagiosas, como o sarampo, ainda presente na Europa. Não é só: o Brasil é o segundo maior transplantador de órgãos do mundo, atrás dos EUA, e 90% dos transplantes são pelo SUS.

Pesquisa feita em 2003 pela OMS em 71 países comprovava a boa avaliação do sistema brasileiro pelos usuários. Dos entrevistados, 97% disseram ter recebido a devida assistência do SUS; 86% dos pacientes obtiveram todos os medicamentos prescritos.
Amanhã, em mais um Dia N