Filtrar por:

Novos modelos de gestão pública da saúde

Renilson de Souza (2017) OSS são mais eficazes, mas maioria dos entes públicos que celebram contratos de gestão não sabe o que está fazendo.

Parceria de gestão

Luiz Arnaldo Cunha Jr. (2013) Atuação federativa das Organizações Sociais de Saúde pode gerar ganhos de escala e reduzir custos dos serviços de saúde.

O mal-estar com a política pública de saúde no Brasil

Nilson do Rosário Costa (2013) As características do desembolso direto na saúde refletem a ambiguidade das decisões no setor.

Limite das PPPs na saúde

Januário Montone (2011) Adotamos a concessão parcial, limitada aos serviços não clínicos, hoje já terceirizados a execução de todos os serviços clínicos será do setor público. Folha de S.Paulo, 24.03.11

O colapso anunciado do sistema de saúde

José Reinaldo Nogueira de Oliveira Jr., 2009. Um sistema universalizado e gratuito de saúde pública tem duas características principais: é democrático e justo com os cidadãos, mas exige fontes de recursos crescentes para funcionar. (O Estado de S.Paulo)

Mais organizações sociais

2009. Novo modelo permite OSs em serviços já existentes, autoriza complementação salarial de servidores e libera acordo com fundação (Folha de S.Paulo)

Serviços sociais do Estado (Folha, 8.10.07)

2007. The “state foundations” (fundações estatais)are welcome because they show that the Lula administration accepted the “social organizations” concept to offer social and scientific services. Yet, public hospitals should be transformed immediately in social organizations, instead of waiting that the new law is approved. (Article Folha de S.Paulo).

Mejorando el desempeño del sector salud en Brasil: comparación entre distintos modelos de hospitales

2007. Jeffrey Rinne. A finales de los noventa el gobierno de São Paulo adoptó un nuevo modelo de gestión para administar un grupo de hospitales públicos del estado. El modelo, llamado OSS (Organizaciones Sociales en Salud), fue creado por estatuto para hacer posible una sociedad formal entre el estado y organizaciones sin fines de lucro del sector privado.

Descontrole na saúde

2007. Editorial O Estado de S.Paulo

(Des)construindo a saúde

2006. Tendências/Debates, Folha de S.Paulo. Os equívocos gerenciais do governo federal, na atual gestão, que vem enfraquecendo alicerces da saúde pública e desconstruindo políticas e programas exitosos. (Jornal: Folha de S.Paulo)

Retrocesso na Saúde

2006. Editorial Estado de S.Paulo. Artigo sobre Organizações Sociais (OSs) para serviços de administração de unidades de saúde da rede pública – Prefeitura de São Paulo. (Jornal: Estado de S.Paulo)

Acolhimento: a qualificação do encontro entre profissionais de saúde e usuários

2005. Rose Marie Inojosa. A questão do acolhimento como uma estratégia de qualificação do encontro entre profissionais de saúde e suários, entre o sistema de saúde e a comunidade, relatando e comentando experiências. (X Congreso Internacional del CLAD sobre la Reforma del Estado y de la Administración Pública)

Organizações sociais a experiência da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo

2005. Marcio Cidade Gomes. O texto relata o processo institucional, o cenário e, particularmente, a seqüência de ações que culminaram, no momento atual, em dezesseis serviços de saúde sob Contrato de Gestão. (PaperIn Levy Drago (orgs.), Gestão Pública no Brasil Contemporâneo. São Paulo FUNDAP, pp.164-84).

Hospitais e Reforma (Folha, 28.03.05)

2005. If the Rio de Janeiro hospitals were transformed into competitive social organizations, as is was done sucessfully with 15 hospitals in São Paulo, they would probably not confront the present crisis. (Article: Folha de S.Paulo, 28.3)